Como preparar a casa para o novo bebê?


A chegada do bebê traz para todos os membros da
família muitas emoções e ao mesmo tempo, felicidade, amor, medo, carinho,
ansiedade. Ter uma nova vidinha em
casa muda a rotina de todo mundo e cria uma expectativa enorme. São muitos
detalhes para pensar e colocar em ordem antes da chegada do bebê, e mesmo após
o nascimento.

Algumas adaptações necessárias somente serão percebidas
quando seu pequeno começar a desafiar a gravidade, a segurança de certos
espaços e testar alguns limites que você vai se perguntar como deixou passar
despercebidos. Enquanto o bebê vai descobrindo o mundo, você vai percebendo
outras mudanças que serão necessárias na casa para fazer com que ele
explore tudo em segurança.
A boa notícia é que muita coisa já pode ser pensada e
colocada em prática enquanto você aguarda o grande dia de ter seu bebê nos
braços. Para que você se organize melhor, trouxe algumas dicas que vão te
ajudar a preparar um ambiente acolhedor e seguro para seu pequeno. Confira:


Conforto e praticidade podem
andar juntos

 Vemos tanta coisa para bebês que queremos
comprar tudo.Mas nessa hora é bom ter foco e pensar no que você realmente vai
precisar e usar de fato.


Não adianta comprar móveis bonitos se são
pouco práticos, pois podem acabar atrapalhando, além de comprometer a segurança
da criança. Pense na funcionalidade
dos móveis.

A última faxina

O
recém-nascido é muito frágil e ainda não teve tempo de desenvolver muitas das
defesas do organismo. Seu corpo está começando a ter contato com os
micro-organismos do ambiente e expô-lo a muitos agentes de uma única vez pode
trazer riscos para sua saúde. Por isso, alguns cuidados com a limpeza,
ventilação e objetos da casa serão necessários.


Mantenha
os cômodos, especialmente os mais frequentados pelo bebê, sempre ventilados e
arejados. Fique atenta a vazamentos e infiltrações que possam causar mofos e
umidade. Eles são muito prejudiciais à saúde respiratória do bebê. Uma boa
ideia é converse com o pediatra para avaliar a necessidade do uso de
umidificadores de ar no quarto da criança nos dias mais secos.
Caso
tenha outro filho,
converse
com o irmão mais velho, diga que o novo bebê é um novo amigo e não intruso.


Torne o primeiro filho o
“irmãozão”

 O
que me ajudou na chegada do Gabriel foi ressaltar as qualidades dele e dizer
que o bebê poderá copiar o bom exemplo dele: Ele ficou lisonjeado em ser
referência para o irmãozinho. (Minha experiência na chegada do segundo filho)

Peça ajuda para cuidar do bebê

 Peça
para o filho mais velha te ajudar em tudo: trocar a fralda, dar banho. Fale que
esta ajuda é importante para você. Existe irmãos que por várias vezes chegam a
perguntar para a mãe se ela irá precisar dele naquele momento, já que precisava
fazer a lição.

Elogie as boas atitudes

 Elogie
a criança mais velha em tudo que ela fizer de positivo (como carinho na mãe e
no irmão). Afinal, a agressividade nada mais é do que um modo de chamar
atenção.

Tempo só para o mais velho

 Desde
a gravidez comece fazendo o filho mais velho participar também das coisas do
bebê, escolhendo as roupas, as coisas do quarto. Mas as vezes faça um programa
só com vocês dois:  dia do passeios ou o
dia de comprar roupas, coisas que ele talvez precise. Um tempo só para o mais
velho, ele se sentirá especial e lembrará que ainda é amado.

Lembre que ele também já foi bebê

 Tem
crianças que não entende que o bebê não anda, não fala, chegam a chorar
querendo que o bebê faça estas coisas, a melhor maneira de contornar a
situação, é mostrando que ele também já foi bebê, que, quando nasceu, era tudo,
lembre-o mostrando fotos, brinquedos, roupas e sapatinhos desta época.

O papai e os avós podem ajudar

O
filho mais velho poderá querer o colo na mesma hora que você precise segurar o
bebê. Peça ao marido, ou aos avós que segure um enquanto estiver com o outro
fazendo um revezamento, para não parecer que a mãe só cuidado bebê e o pai do
mais velho.

Ciúmes
é uma situação é muito frequente. Quando nasce um bebê é natural que a mãe se
apaixone por ele, é bioquímico até, tem a ver com a produção de oxitocina, o
hormônio do prazer, e os inúmeros cuidados por um serzinho tão indefeso e
pequeno, a criança mais velha, percebe isso e às vezes reage. 



Valorize o outro
filho, mostre que ele é seu real companheiro de diversão, de brincadeiras, de
sair junto para um lanche. O bebê ainda só dorme, mama e chora, não poderá lhe
fazer companhia. Assim, quando seu filho ficar longe de você, ele estará seguro
e não sentirá medo de perder sua companhia para o irmão menor. 



Só evite
presentear para compensar uma falta de atenção. Ele precisa notar que o melhor
presente que ganhou é o próprio irmão, que será o seu amigo de brincadeiras no
futuro.



 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *